Como motivar seus colaboradores, e a si mesmo

meninos-herois

Vi recentemente um vídeo dentre os talks do Ted, e hoje tive de revê-lo para fazer um resumão. O vídeo é de Daniel Pink e fala sobre motivação, mais precisamente sobre a constatação de que as formas de motivação e punição de colaboradores usadas e consagradas no século XX (e anteriores) não funcionam mais para as tarefas do século XXI, em essência tarefas que exigem criatividade, visão ampla e pensamento fora da caixa. Essas recompensas são chamadas de motivações extrínsecas.

Pink aponta um estudo realizado por Sam Glucksberg que visava medir o grau de influência que as recompensas em dinheiro, o padrão do século XX, exerciam sobre o desempenho de uma pessoa na execução de uma dada tarefa.

Glucksberg usou o “problema da vela” (proposto originalmente por Carl Duncker em 1945) como tarefa a ser executada. O problema da vela consiste em encontrar uma forma de prender uma vela em uma parede usando apenas fósforos e uma caixa com tachinhas de fixação, podendo ser usadas quantas tachinhas fossem necessárias.

candle-problem

Ilustração do problema da vela e sua solução

O problema força as pessoas a enxergar, em um dado momento, que a caixa das tachinhas não está lá apenas para guardar as tachinhas, mas sim como uma possível parte da solução. Um teste inteligente e simples.

candle-problem-algorithmic

Problema da vela apresentado de forma a eliminar a arte criativa: apenas uma atividade mecânica

Os resultados mostraram que quando uma pessoa tenta acelerar o processo para conseguir resolver o problema antes e ganhar a recompensa por ser a mais rápida, ela falha e acaba gastando um tempo mais alto. Isso porque a visão da recompensa estreita o seu foco e não deixa que ela olhe em volta e enxergue possibilidades criativas.

Um comportamento diferente é encontrado quando a parte criativa do problema é eliminada, dispondo-se para o participante as tachinhas já fora da caixa. Nesse caso o trabalho deixa de ser criativo e passar a ser quase que mecânico: pegar a caixa, fixar com uma ou duas tachinhas na parede, e por a vela na caixa. Nesse caso, o uso da recompensa financeira foi assustador. As pessoas foram muito mais rápidas quanto tinha uma recompensa para buscar.

Esse comportamento levou Glucksberg a constatar a realidade que Pink agora defende. Exposto isso, ele traz sua contra-proposta: motivação intrínseca.

A motivação intrínseca é composta por três elementos: autonomia, domínio e propósito. Autonomia é o desejo e poder de direcionar a nossa própria vida. Domínio tem a ver com a capacidade de executar cada vez melhor algo que é importante. Já Propósito é o desejo de fazer alguma coisa para que sirva a algo maior que nós mesmos (já falei sobre motivação e propósito aqui antes).

No Talk, Pink foca em autonomia. Ele usa exemplos como a Atlassian (empresa de software australiana), onde todos os engenheiros de software tem regularmente um dia no qual eles precisam trabalhar em algo completamente desligado da empresa. Pode ser escrever um código, projetar uma estante, etc. Eles precisam fazer tudo em um dia e apresentar os resultados no outro dia (esse dia é chamado de Fedex Day, já que eles precisam entregar algo no overnight). O resultado dessa atividade é muito interessante e levou a criação de produtos e soluções que foram depois incorporados à empresa.

Outro exemplo citado é a própria Google, na qual os colaboradores tem 20% do seu tempo disponível para trabalhar em projetos pessoais. Boa parte dos produtos da Google surgiram desses projetos.

Um último exemplo citado foi o fracasso da Encarta, a enciclopédia virtual que a Microsoft projetou e começou a desenvolver. O projeto da Microsoft trabalhou com motivação extrínseca. Por outro lado, é notável o sucesso alcançado pela Wikipedia, na qual ninguém recebe para contribuir com textos e definições. A Wikipedia trabalha com motivação intrínseca, com doses muito fortes de propósito.

No final, fica a sugestão de Pink, diante dos resultados e exemplos apresentados, de adotarmos a motivação intrínseca como motor de motivação da nossa equipe de colaboradores.

Para que quiser assistir o talk, tem legenda em português do Brasil e este é o link: Dan Pink’s talk about Motivation.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *